Quem é o nosso público alvo?




Na cidade onde atualmente estamos morando, existem dezenas de lojas de roupas. A grande maioria são lojas de roupas e acessórios femininos. Dentre estas lojas há uma especializada em roupas GG, outra em vestidos de noiva, duas voltadas para o público infanto-juvenil.

Pretendemos investir em uma loja de roupas e acessórios infanto-juvenil de ótima qualidade. Diante deste cenário, será que há espaço para o negócio que estamos planejando? Pensamos que sim, desde que tenhamos muito bem definido este nicho de mercado que pretendemos explorar. Não queremos concorrer com os grandes magazines que vendem de quase tudo um pouco e também não queremos medir forças com a maioria das lojas instaladas na região.

Diante do exposto, fica evidente a importância de evidenciarmos o nosso público alvo, pois, muita das decisões futuras dependerá disto, como:

  • A localização da loja.
  • Decoração do ambiente.
  • Qualidade dos produtos.
  • Prováveis fornecedores.
  • Nível de conhecimento dos vendedores.

Apesar de a cidade ser pequena, menos de 40.000 habitantes, há uma parcela razoável da população que possui um bom poder aquisitivo. Este público tem um perfil de consumo que pode ser definido da seguinte maneira:

  • Procuram roupas de confecções que apresentam boa qualidade.
  • Frequentam os melhores restaurantes da cidade.
  • A maioria tem filhos em escolas particulares.
  • Almoçam fora nos finais de semana.
  • Frequentam festas da sociedade local.
  • Apresentam-se quase sempre com um look impecável.

Acreditamos que esse o público torne a loja rentável, pois é capaz de adquirir o vestuário na faixa de preço que pretendemos vender. Devemos frisar sempre que a qualidade das roupas deve ser primordial, pois se trata de pessoas muito exigentes.

Está claro que não queremos diversificar os produtos e potenciais clientes da loja para mantermos a vantagem competitiva de atuar em apenas uma área. Isto irá facilitar bastante a manutenção do foco, o gerenciamento de estoques e compras.

Apesar deste breve levantamento, deveremos continuar estudando nosso público-alvo e se possível nos aproximar dele. Será importante fazermos uma pequena pesquisa de mercado, até mesmo junto ao comércio já instituído para tentarmos criar uma visão clara dos desafios que a nossa futura loja de roupas infanto-juvenil irá enfrentar em termos de consumidores.

Comentários

  1. O que talvez deva pesquisar é se esse público alvo estaria realmente disposto a pagar caro pelos gostos de filhos adolescentes.
    As adolescentes provavelmente irão se interessar pela marca cara, mas, no final, a decisão da compra será dos pais, que têm o dinheiro.
    Pelo que observo em meu meio, tem muito pai que adora gastar muito dinheiro com roupas caríssimas para bebês, que serão utilizadas poucas vezes. Porém, no momento em que o filho chega à adolescência e passa a ter desejos infinitos, estes mesmos país se vêem obrigados a impor limites, sob pena de falirem.
    Admito que, por não me interessar pelo assunto, não conheço muito bem a realidade do varejo de moda da minha cidade (SP), mas a impressão que tenho é a de que as lojas direcionadas para adolescentes que mais fazem sucesso são justamente as que vendem a preços acessíveis (ex: forever 21). Curiosamente, os adolescentes que realmente parecem pagar caro por marca, são os de periferia, que gastam o salário de um mês de trabalho no balcão de um fast food em uma porcaria com etiqueta que irá "diferenciá-lo" entre os pares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está plenamente correto. Ainda discuto com minha esposa sobre o estilo da loja. Penso que é bem melhor ter uma loja multimarcas de tal maneira que se tenha alguma linha um pouco mais cara e marcas conhecidas a preços mais acessíveis. Forever 21 é um ótimo exemplo de uma marca que procura ter preços acessíveis e é uma sensação entre os adolescentes.

      Excluir
  2. Prezado amigo, na definição de seu público alvo, verifique com atenção se eles compram na cidade e quais suas preferências. É muito comum analisarmos uma determinada região com bastante gente e com poder aquisitivo de forma positiva e, quando se inicia o negócio, percebe-se que este público compra de verdade em outro lugar. Por exemplo, em minha cidade, existem vários bairros classe AAA que são péssimos para comércio local, porque os realmente endinheirados não compram na região.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon 13:34.

      Você tem toda razão. O que observei é que boa parte do público alvo se planeja para comprar em outra cidade, próxima da minha região. Além disto boa parte compra via internet. Estes fatos devem ser levados em consideração para se definir muito bem a estratégia para se tentar consolidar o negócio, pois realmente os concorrentes estão em outra cidade e não na mesma região.

      Excluir

Postar um comentário

Fica a critério do administrador do blog GERAÇÃO 65 excluir comentários considerados ofensivos ou que contenham palavras de baixo calão.

Postagens mais visitadas deste blog

Me preparando para o desafio

Rendimento bruto e rendimento líquido