2016, o ano que nos proporcionou muitas oportunidades



O ano de 2016 está se despedindo, levando consigo a austeridade profetizado dias antes de sua chegada. Ano difícil que, sem dúvidas, estampou infinitas oportunidades.

Foi um ano excelente para quem investiu no mercado de renda variável. Não foram raros os ativos que tiveram valorização de pelo menos 20%. Uma bela valorização durante a  pior crise econômica e política que insiste em assoitar o país. E quem fincou pé na renda fixa? Esteve também rindo à toa, pois obteve excelentes rendimentos com relativa segurança. Quem não ficou com a bunda no sofá e resolveu bater pernas conseguiu garimpar verdadeiras pechinchas no mercado imobiliário. Quantas oportunidades tiveram os mais diversos investidores, desde os moderados até os extremamente arrojados. Aliás, em época de crise, com dinheiro na mão é fácil ser investidor de sucesso.

Esse ano também bateu vários recordes, dentre eles o de maior número de desempregados – mais de doze milhões de pessoas. Esta estatística fria vai mais além, pois, são mais de doze milhões de histórias de vida. Várias famílias tiveram queda na renda e outras deixaram de ter uma. Diversas pessoas perderam a autoestima e puseram famílias em rota de colisão com a miséria. Enfim, 2016 nos deu a oportunidade de reconhecermos que ainda não estamos preparados para sermos grande.

Por outro lado, dentre esses doze milhões de pessoas, existem brasileiros que hoje estão apanhando da vida mas não estão se rendendo diante das dificuldades impostas. Esses bravos estão tentando com todas as forças se reinventarem. Não me espantarei se daqui a dez anos surgirem histórias desses guerreiros que, como a fênix, irão ressurgir das cinzas e se tornarão grandes empresários. Somente um ano inflexível e duro como este criaria esta oportunidade.

E os profissionais e empresários que perderam dinheiro? Estes se atentaram ao fato que não vale a pena trabalhar pelo dinheiro, varando noites e fazendo horas extras para incrementarem ainda mais a conta bancária. A crise ceifou lhes algumas cifras, porém, devolveu lhes as famílias, perdidas a tempos. Somente um ano como 2016 poderia proporcionar a bela oportunidade para estes homens passarem a reservar tempo às pessoas que os amam.

Quem diria que neste ano teríamos a oportunidade de ver um “tchau querida” grampeado e mais tarde a queda de um partido, prisões de políticos, delações e mais delações, um marco histórico. Ver a verdadeira face de muitos personagens da política nacional escancarada em jornais e ter parte desta cambada atrás das grades. Que beleza de 2016! Tivemos a oportunidade de ver até onde vai a ganância, a falta de vergonha na cara e as consequências de nossa ignorância política.

Ah, esse ano de oportunidades... Ele me mostrou que não sou melhor que ninguém. Lembrar-me-ei dele como um amigo severo e justo, que em trezentos e sessenta e cindo dias me forjou para encarar 2017 com muito mais serenidade. Despeço-me dele sendo uma pessoa um pouco melhor e não perderei a oportunidade de praticar o que ele me ensinou: vale a pena investir sorriso e um bom dia sincero para tão somente colher outro bom dia e quem sabe outro sorriso tão verdadeiro quanto.

Para você que está lendo este post, um bom dia com um grande sorriso e meu sincero desejo que enfrente com firmeza os desafios que serão apresentados em 2017.


2 comentários:

  1. BRASIL 2016:


    Na música brasileira temos a baixa-cultura corroborada pelo PT nesses 13 anos. O atual lixo cultural do Brasil petista.

    Em 2016:

    DILMA é um produto a ser consumido e comprado (mesmo que sem dinheiro). Um produto tal qual um "Danoninho©", produto esse industrial, com sedutoras fotografias de suculentos morangos externos (naturalmente que não física e materialmente internos!). Pegando na real o consumidor pela imagem mítica e não pela realidade interna.

    «Coração-Valente©» (até Lula sabe! Não sejamos bobos): tal qual a frase mítica do Danoninho© que "vale por um bifinho", também a pupila de Lula utiliza-se de um simulacro mítico que não reflete o "interior do pote"; a saber: a incapacidade dela de governabilidade, péssima articulação política (Maquiavel), horroroso projeto econômico de fiasco a pino, e ineficácia republicana, fraude. ¿O que adianta, então, afinal, o mito publicitário engana-trouxa de «Coração-Valente©»? Adianta nada!

    E, complexando um pouco [não precisava...; mas vai aí], que discursa assim: «(...) não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder.». Esse é o ver-da-dei-ro Coração-Valente© dos anos 60... Ponto final.

    Eis aí a utilização de clichês publicitários míticos para pegar o eleitor pelas VÍSCERAS: acertados, mas, verdadeiramente, engana-trouxa... A minoria escapa da artimanha, da burla e da ilusão petista.

    Verdadeiramente, a VIGARICE & picaretagem é a POPULARIDADE DE MITOS como a MITOLOGIA do «Coração Valente©,»… Um produto a ser vendido e comprado pelo eleitor, devido apenas ao vazio do mito.

    E, também, por outro lado, o problema é a SUAVE & disfarçada truculência do PeTê… Repare:
    É evidente que o Petismo se utiliza de técnicas das mais brilhantes de publicidade; brilhantes, mas embusteiras.

    ¡Jamais 1 Danoninho© vale por um bifinho!

    P.S.:
    ¿Como identificar um petista? Simples! Pela escrita. É singelo e sem enfeites. Veja:

    Amam o FHC (de maneira enrustida), a toda hora estão a falar no velho...

    E, mais singelo, amam o PSDB à distância -- não chegam perto, a longos 13 anos, falam sem parar no partidinho com rigor acadêmico, análise e tudo... São loucos inconscientes para ter como 2ª mulher ou amante o PSDB... Amor enrustido.


    [Obs.:
    Na música brasileira temos a baixa-cultura corroborada pelo PT nesses 13 anos. O atual lixo cultural do Brasil petista. A breguice, cafonice, baranguice e o kitsch do Petismo].

    = FIM =

    ResponderExcluir
  2. Feliz Natal G65!

    tudo de bom ai!!!

    Abraço

    ResponderExcluir

Fica a critério do administrador do blog GERAÇÃO 65 excluir comentários considerados ofensivos ou que contenham palavras de baixo calão.

Tecnologia do Blogger.